INSS: aposentados e pensionistas, impostos podem diminuir 13°salário

Para quem vai receber o benefício, é importante ter em mente que na segunda parcela há a parcela de descontos por causa de impostos.

Nesta terça-feira (25), o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa a realizar os pagamentos da primeira parcela do 13° salário para aposentados e pensionistas.


Contudo, os cidadãos que vão receber a gratificação devem ficar atentos aos descontos.


Caso o aposentado ou pensionista tenha 64 anos ou menos e receba um benefício superior a R$ 1.903,98, haverá desconto do imposto de renda no pagamento da segunda parcela. Mas, se o segurado tiver mais que 65 anos, a tributação só é feita caso ele receba um benefício superior a R$ 3.807,93.


No caso do beneficiário que começou a receber do INSS, por exemplo, neste ano, o 13° será pago proporcionalmente ao número de meses que ele recebeu auxílio do órgão.


"A proporcionalidade é, em regra, a mesma do 13° dos trabalhadores em geral: 1/12 para cada mês de recebimento do benefício no ano, porém contando-se até dezembro", explica Emerson Lemes, diretor do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).


Valor 13º salário INSS

Os valores que os segurados vão receber podem ser consultados no site ou aplicativo Meu INSS.


Para conferir o extrato do pagamento, é necessário baixar e entrar no app Meu INSS, utilizar o CPF e senha e selecionar a opção "Extrato de Pagamento".


Em seguida, clicar na seta ao lado da quantia e da competência para ver detalhes dos vencimentos. Os valores ficam liberados para consulta depois do fechamento da folha de pagamentos pela Dataprev.


No caso dos aposentados e pensionistas que recebem até um salário mínimo (R$ 1.100), o depósito será feito entre os dias 25 deste mês e 8 de junho, de acordo com o número final do benefício, sem levar em conta o dígito verificador.


Já os segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados entre 1º e 8 de maio.


Cuidados com o 13º salário

Para especialistas a injeção de dinheiro feita pelo INSS é muito importante nessa hora, para proteger os aposentados e até aquecer a economia, mas é preciso que os beneficiários saibam a melhor forma de utilizar essa quantia.


"Dinheiro extra, no geral, não deve ser utilizado para quitar dívidas, nesse momento essa ideia deve ser reforçada, também é importante que não utilize esse dinheiro para fazer compras de supérfluos, mas sim ser planejado o uso poupado, destinando-o para atravessar esse período difícil que passaremos", avalia o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), Reinaldo Domingos.


Para o especialista, o primeiro passo é fazer um diagnóstico financeiro, ou seja, anotar todos os gastos ao longo de um mês, separando-os em categorias (alimentação, combustível, vestuário, etc.).


Dessa forma, o cidadão verá exatamente com o que está gastando cada centavo do dinheiro e onde está havendo excessos, para diminuí-los ou até cortá-los, se for o caso.


“Esse dinheiro é muito importante, lembrando que o aposentado e pensionista não receberá mais no início do segundo semestre, como estavam acostumados, assim é preciso uma reserva com esse dinheiro. Tenha a certeza de que com planejamento e organização, é possível se adequar. Uma importante orientação é que, por mais que possa parecer difícil, tudo vai passar".


Com informações do jornal O Dia

Posts Relacionados

Ver tudo