Simples Nacional: Os tributos federais prorrogados voltam a ser cobrados a partir do dia 20 de julho

Contribuintes que optaram por prorrogar os tributos do Simples Nacional devem voltar a pagá-los a partir de julho.


Devido à crise provocada pela pandemia de coronavírus, a Resolução 158/2021, publicada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN), permitiu que os tributos unificados com vencimentos em abril, maio e junho fossem prorrogados.


Com a medida, os contribuintes puderam postergar as competências mensais em até duas parcelas. O pagamento da guia prorrogada não terá acréscimo de multa e juros.


Contudo, é preciso se atentar aos prazos, já que os tributos prorrogados começam a vencer em julho. Confira na tabela.


Prorrogação de tributos Simples Nacional

O Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) informou que os programas de emissão do DAS foram adaptados para permitir a geração de um DAS e DAS MEI para cada quota com vencimentos distintos.


Vale lembrar que, além dos tributos federais, os contribuintes também devem se atentar aos tributos estaduais, como o ICMS, e os municipais, ISS, que terão datas de vencimento distintas.


Tributos Simples Nacional

Os seguintes tributos estão incluídos no pagamento unificado que compõe o Simples Nacional:


- IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica);


- IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);


- CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido);


- Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);


- Pis/Pasep (Programa de Integração Social e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público);


- CPP (Contribuição Previdenciária Patronal).


Ao todo, 17 milhões de contribuintes do Simples Nacional puderam prorrogar seus tributos. Com isso, o recolhimento de R$ 27,8 bilhões de reais deve ser postergado.


Fonte: Portal Contábeis.

Posts Relacionados

Ver tudo